3/13/2007

Uma carta a um possível ateu

Cara Carolina; redigi uma primeira carta ao teu primo Jorge, na qual tentei, por A+B, provar que Deus pode ser real, apesar de não ser notório aos nossos sentidos. Após encontro com ele, tomei conhecimento que não acreditas na existência de Deus e que vives a tua vida dessa forma. Ora bem, como disse ao teu primo, não quero de forma alguma parecer arrogante para contigo, mas gostava de te mostrar o perigo daquilo que afirmas. O perigo do pensamento que diz "Deus não existe" é enorme e pode levar à consequência de gigantescas desgraças para a humanidade. Pondera comigo em algumas perspectivas.

O ateísmo, defende que todos somos produtos de uma evolução, e que através de uma selecção natural, a raça superior permanece e as raças inferiores são exterminadas.

Ideias como essas, levaram homens como Hitler a fazer uma selecção. Hitler sonhou com a raça ariana, uma raça humana superior. Tudo bem, segundo a vossa forma de ver o mundo é legítimo o pensamento de Hitler. Mas a questão é o que ele fez para tentar criar essa raça. Os Judeus, raça inferior para Hitler, tinham de ser exterminados pois era o curso natural da natureza. Seis milhões de Judeus morreram nas mãos de um homem, porque segundo essa forma de ver o mundo e a nossa existência, Deus não existe.

Mas pergunto-te, achas correcto o que ele fez? Se sim, para de ler esta carta, porque decerto que não és humana; se não, com que base afirmas a tua opinião.

Num mundo onde Deus não existe, não existem valores absolutos. Como vocês dizem, "não existe verdade absoluta".

Já paraste para pensar que esse chavão que vocês utilizam está virado contra vocês. Vocês declaram que é absolutamente verdade que não existe verdade absoluta. É no mínimo contraditório.

Mas voltando ao que te dizia, se Deus não existe, então ninguém define o que é correcto e incorrecto! Quem é a pessoa emocionalmente, psicologicamente, espiritualmente e intelectualmente perfeita, capaz de avaliar o valor das acções humanas, para que depois possa dizer lícito ou ilícito?

Quem pode acusar o Hitler, o Saddam Hussein, o Milosevic, de crimes contra a humanidade? Afinal de contas, foi a ideias deles contra a ideia dos outros, e como não existem absolutos, cada um tem a sua ideia do certo e errado, e assim podem ser justificados os actos deles.

Achas aceitável esta forma de viver? Quem vive assim, fá-lo por um descargo de consciência, para não ter nada de seja acusado, pois não existem leis.

Voltando ao assunto acima descrito pensemos. Ninguém concorda com os actos de Hitler e de outros semelhantes a ele, mas porquê? Porque será que existe em nós esta valorização da vida? Segundo o ateísmo, a vida é um "acidente", um acaso por onde a evolução passa. Se é um acidente, ou um estágio da evolução da matéria inicial, porquê defende-la? Afinal a evolução está a seguir o seu curso!

Mas a verdade é que ninguém pensa assim, todos valorizamos o direito à nossa existência, todos valorizamos a vida. Mas porquê?

Quem escreveu em nós esta máxima acerca da vida? O ateísmo não pode responder, porque não tem ninguém superior à "evolução" que defina as regras segundo as quais a "evolução" se desenvolve. O teísmo, ao ter Deus na origem de tudo, responde de forma total a essa pergunta.

O teísmo coloca Deus, um ser totalmente perfeito, vivo, pessoal, auto-sustentável e auto-existente, na origem da criação. Dizem as escrituras, nas quais não crês para tua própria condenação, que "no princípio criou Deus os céus e terra" (Gn 1:1).

É para mim mais racional crer, que alguém perfeito, um planeador inteligente, criasse todo este universo complexo, cheio de leis e de mistérios, do que imaginar uma célula simples, sem vida, inteligência ou alguma similaridade de pessoalidade, criasse algo tão intrincado.

Segundo o teísmo, Deus colocou em nós uma lei moral, coincidente com a sua natureza perfeita e santa. Paulo, escritor sacro ungido pelo Espírito Santo, diz na sua epístola aos romanos, capítulo 2, versos 14 e 15 o seguinte, "actualmente as coisas que são da lei, não tendo eles lei, para si mesmos são lei; os quais mostram a obra da lei escrita em seus corações, testificando juntamente a sua consciência, e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os". Essa lei, a que muitos chamam de consciência, é o que define a licitude dos nossos actos.

Queres saber porque não aceitas que ninguém te mate? Porque a lei diz "Não matarás" (Êxodo 20:13). Por isso consideras errada a atitude do Hitler.

Qual a razão para o roubo ser errado? Diz a escritura, "Não furtarás" (Êxodo 20:15). Questionas-te do porquê do peso da tua consciência quando adulteras? Porque diz Moisés na Lei de Deus, "Não adulterarás" (Êxodo 20:14)

Porque será que não gostas que componham falso algo sobre a tua pessoa? Porque a Bíblia diz "Näo dirás falso testemunho contra o teu próximo" (Êxodo 20:16).

Porque não aceitas que olhem para o teu conjugue, para os teus bens, com outros intentos? Porque a Ordem de Deus é "Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo." (Êxodo 20:17)

Porque julgas como errado a desobediência dos filhos aos pais? Porque a escritura diz "Honra a teu pai e a tua mãe" (Êxodo 20:12).

Porque te julgas merecedora de um dia, no mínimo, de descanso? Porque a escritura diz "Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR teu Deus; não farás nenhuma obra" (Êxodo 20:9-10). Pena é que use esse dia de forma errada.

Porque será que a humanidade tende a imaginar que existe um ser divino, superior à criação? Porque está escrito na mesma lei "Não terás outros deuses diante de mim" (Êxodo 20:3). Ficou escrito no nosso coração que Deus existe, logo no início.

Toda esta Lei, segundo Paulo, está escrita nos nossos corações e isso responde à pergunta que te fiz acerca do valor que damos à nossa vida; da razão de não aceitarmos furtos, homicídios, adultérios etc…

Ninguém aceita porque Deus é real e escreveu estas leis em nossos corações. São valores absolutos, aqui ou na china todos defendemos o mesmo.

Peço-te que ao leres esta carta, ponhas em consideração a existência de Deus, e que nasça em ti o desejo de aprenderes mais sobre ele. Caso aconteça, aconselho-te a leres as sagradas escrituras de forma que possas ver a realidade da pessoa de Deus.

10 Biblos:

Maria João disse...

Aliás, há muitos cientistas que dizem ser impossível não haver um ser perfeito. Até podem não acreditar como nós cristãos acreditamos, mas acreditam que há de facto um ser superior.

Dizem que está tudo demasiado bem feito para que assim não seja.

Dário Cardina Codinha disse...

Em primeiro lugar, a tua ideia de selecção natural é muito vaga. O que é uma raça superior e uma raça inferior? Foi essa a ideia que influenciou Hitler? Se calhar Darwin foi pior que Hitler pois Darwin formulou a primeira teoria da Selecção Natural.
Em segundo lugar, valores absolutos não são verdades absolutas. Eu e muita gente acredita na verdade absoluta: A esta só se chega através de aproximações. Imagina uma cortina e um silhueta atrás dela. A verdade absoluta é o que está por detrás dessa cortina, tu apenas fazes aproximações através da silhueta que vês. São as verdades relativas que vão aproximando com alguns erros. Estes serão corrigidos à medida que as descobertas vão avançado refinando a verdade relativa até obter, no final, a verdade absoluta, sem erros de aproximações.
Em terceiro lugar, o que define o bem e o mal? Decerto que vês tribunais e leis, filósofos e peritos em legislação a reflectir sobre o que estará certo e errado. Não é preciso acreditar em Buda, Deus ou Zé das Couves para saber que “isto” é bom e “aquilo” é mau. É neurociência! Temos vários “campos” no nosso cérebro, alguns deles conjugados fazem-nos saber que é bom e o que é mau.
Em quarto lugar, Valorizamos a vida porque sabemos o valor que tem. Estás a usar argumentos inúteis para valorizar a tua opinião. Estás a fazer a festa, lançar os foguetes e apanhar as canas. Mas é giro ver alguns reciocínios.

Com os melhores cumprimentos
Dário S. Cardina Codinha
www.o-outro-universo-blogspot.com
www.ualg.pt/nebi

Daniel disse...

Em primeiro lugar a ideia de selecção natural não é minha!

Em segundo lugar, talvez o Hitler te soubesse responder ao que é raça superior ou inferior! Mas que ele a alegou é verdade. Talvez devesses ler o livro "a minha luta"; e verás como ele defende essa suposta superioridade.

Se o darwin é pior que o hitler? que interessa, estão errados os dois.

Verdades relativas acerca de uma verdade absoluta? Não consigo entender essa linguagem; é uma boa forma evitar dizer "incompreensão em relação à verdade". Isso é ilógico. Imagina tu, podes dizer nessa tua suposta verdade relativa,o seguinte, (supõe que Deus é a verdade absoluta)"Deus é mau"; mas ao descobrires a "verdade absoluta" descobres que Deus é bom!
Agora agarramos na verdade relativa (deus é mau) e na verdade absoluta (deus é bom) e dizemos o seguinte, (nessa tua perspectiva) o mau é a tua ideia relativa de bom, o que é absurdo.

Na verdade o que se passou foi que não soubeste interpretar os factos e descobriste a tua verdade relativa, que na realidade é uma absoluta mentira.

Obrigado por teres me acabado por dar razão, no que toca ao bem e mal.
Eu não disse que era preciso acreditar em Deus, só disse que Deus escreveu no nosso coração a sua lei. Bem de certo modo enganei-me, afinal ele escreveu nesses "campos" os tais valores.
Em segundo lugar a "neurociência" não coloca os valores ou as definições de correcto ou incorrecto nos campos; ela só estuda o que já existe nos campos! Agora a questão é "quem colocou a informação nos campos"?
Por outro lado se essa informação já está nesses campos, porque temos de educar os nossos filhos; não haveria necessidade disso. A questão é que os nossos neurónios são como um hardware que necessitam de software, digamos que necessitam da informação. A questão é, quem fez o software compatível com o hardware?
Se precisamos de educar os nossos filhos,quer dizer que nós próprios fomos educados, os nossos pais também, os nossos avós de igual de forma, e se dermos continuidade até ao primeiro homem que existiu, surge o dilema; quem é que o educou?

Já agora qual é o valor que a vida têm?

Dário Cardina Codinha disse...

Bem, o teu comentário é abusivo. pensas que a tua ideia é a melhor e irrefutável. Refutas as outras "porque sim" e "porque a minha é melhor"... efim. Falas muito do ar. Reparo que os termos científicos que usas estão excepcionalmente ERRADOS. é incrível como podes dizer "não" a afirmações testadas e aceites em todo o mundo e, até, em todas as escolas. Se tens toda a razão poderás revolucionar toda a ciência e filosofia mundiais!

Daniel disse...

Só usei os termos cientificos que tu usas-te; por isso se alguém está errado nos termos cientificos és tu.

Dário Cardina Codinha disse...

estranho... "molécula unicelular"? isto não existe... nunca disse tal coisa, sei muito bem o que escrevo. Era como dizer 2+2=12. és muito frontal. não toleras que tenhas errado em algum termo.

Com os melhores cumprimentos

www.ualg.pt/nebi
www.o-outro-universo.blogspot.pt

samuel disse...

A fé é por princípio uma coisa muito louvável e bonita...
...seja como for, este texto, que deliciosamente mistura alhos com bugalhos, é talvez o exercício mais infantil e mistificador que li sobre este tema. Chega a ser doloroso pela ostentação de ignorância como se de um troféu se tratasse.
Voltarei aqui e a este assunto, se valer a pena...
Agora estou só de passagem.
Paz.

Flôr disse...

Que a tua voz se faça sentir! Que o nome do Senhor Jesus seja exaltado!

Tomei a liberdade de te "plantar" no meu "jardim virtual". :)

Beijinhos floridos e recheados do amor do nosso Deus.

Flor

Anónimo disse...

Falas tanto do Hitler! Quem foi que te disse que o Hitler era ateu? Ao falares tanto de hitler esqueces quantos crimes e horrores a religião cometeu e ainda fomenta no mundo. Uma religião que aceitou deliberadamente a escravidão e que se julga dona da moral? Quem falou-te que o bem e o mal é são dados atribuídos por Deus? Então tinhas de ser natural ao suficiente para veres um pássaro a procurar comida pra seus filhotes no ninho. Então diga-me, foi Deus que ensinou todos animais (irracionais) a fazerem o bem pra seus filhotes? Devias questionar a teu Deus porquê é que ele permitiu que seis milhões de pessoas morressem no campo de concentração. Para que servem todos seus poderes? Para serem guardados eternamente? Então teu deus é inútil

Anónimo disse...

Seleção natural não tem absolutamente nada haver com extremismo político de um psicopata que se achava dono de verdades absolutas.A teoria da evolução é uma formulação que se baseia conhecimento biológico,o que faz com que qualquer tentativa de relacioná-la a uma esfera política se torne ridícula.