1/10/2007

Um ultimo Grito

Não sei quanto a vocês. Mas quanto a mim estou farto. Farto de cultos, farto de pregações vazias do poder de Deus, farto de falta de milagres na meio onde vivo. Onde estão as pessoas sobre quem impus as mãos e foram curadas, libertas de demónios etc... Vocês não se cansam da treta de cristianismo que vivemos?

10 Biblos:

Ruben disse...

Por mais que escreva, não dá para fugir do estado das coisas.
Prefiro não fugir da realidade: não estamos bem e temos de buscar mais a Deus.

Anónimo disse...

O teu ultimo grito é a manifestaçao visivel que não te contentas com o sistema relegioso actual. Espero que num futuro muito breve poças lutar para que as coisas voltem á sua raiz. Eu gosto de pessoas que não se contentam e tenho a certeza que Deus terá um futuro maravilhoso para ti.

Deus te abençõe.
Victor

Ego ipse disse...

Sobre este assunto tenho uma opinião muito própria: O Cristianismo que vivemos só depende de nós, da nossa vida, não recebemos a salvação de ninguem mas directamente de Deus e somos o que somos pelo Espirito Santo em nós!
As mensagens são tão mais poderosas quanto o receptor está pronto a ouvir a atender, quanto ao pregador ele pode limitar-se a ler um verso da palavra de Deus...
Os sinais de que falas não dependem da igreja, nem de nós, nem do ambiente mas daqueles que crêm, a palavra de Deus é clara: O sinais seguiram os que creram...
Olhemos para nós (falo em 1º lugar para mim) e não para os outros na eternidade não poderemos apontar com desculpa, nem a igreja nem os sinais, nem o ambiente e Deus tratará com cada um em particular

Ana disse...

A este tipo de cristianismo, eu prefiro designar de hipocrita!

Revolução disse...

De facto o cristianismo não é uma treta. Porém muitos vivem-no de maneira medíocre e miserável. Enquanto muitos de nós aqui no ocidente vive um cristianismo “hollywoodiano”, em que apresentam “grandes pregadores”, “grandes conferencistas”, e grandes “heróis evangélicos”e um final feliz para todos, nossos irmãos do oriente vivem um cristianismo em que os seus modelos de vida além de ser Jesus, são seus irmãos que são martirizados diariamente por amor ao mesmo Jesus que cremos. Eles não têm hipótese! Ou vivem um cristianismo sério, comprometido ou simplesmente são perseguidos e mortos. Eles não brincam de serem crentes ou de serem pastores. O preço é demasiado alto. Simplesmente vivem o evangelho na sua totalidade, o que muitos de nós não vivem.
Meu caro, gostei muito do teu grito! Isto serve para despertar e pensarmos numa mudança radical, da qual necessitamos diariamente.

Marlene Maravilha disse...

As vezes sinto-me assim e entendo perfeitamente o que falas, meu irmão. Outras, ouço a Palavra e é Deus falando direto. Então vejo que o agir é do Senhor e do seu Espírito. Daí passo o momento da crise.
abraços

Maria João disse...

É preciso amar. Isso sim é ser critão. Ainda bem que lanças esse grito. O cristianismo nem sempre vai pelo caminho certo.

nate nine disse...

Defenitivamente farto, mas nunca acomodado. Penso que estamos a percisar de muita coisa, mas sobretudo de orar. Acho que Deus não está disposto a dar Dons para os colocarmos no bolso, como temos feito à salvação. Pedimos muitos e damos pouco, a Deus e aos homens. Falo contra mim.

di disse...

Infelizmente conformamo-nos, acomodámo-nos...
E tantos há, que ainda esperam por conhecer a Deus.
Sejamos a diferença, num lugar que precisa ser diferente. Sejamos Igreja junto de quem precisa conhecer do Rei, que é Jesus.

DTA

Pedro Alves disse...

Daniel, eu entendo-te. Mas lembra-te que a responsabilidade de cada um, é individual. Não há pregação ou cântico ou emoção que nos valha se não buscamos a Deus.

O que vejo é uma rotina que as pessoas adquiriram, uma mecanização do culto. É preciso ajudá-las a compreender que Deus espera mais que isso, que podem ter mais que isso e que obtê-lo é tão simples quanto buscar.

Paulo desafia-nos a enchermo-nos do Espírito Santo. Não a esperarmos que algo aconteça e sejamos cheios, mas a enchermo-nos. Por toda a Bíblia encontro passagens que me dizem que se vou estar sentado à espera que Deus faça algo na minha vida, posso bem esperar até Jesus vir. É minha responsabilidade buscar a Deus. E é a de cada um.

Eu sei, por vezes apetece esbofetear alguns irmãos (no amor do Senhor, claro...) para que acordem. Tudo o que posso fazer é o que Deus me pede. O resto é com Ele.