10/30/2006

Acreditavam?

Vezes sem conta dei por mim, a acusar aqueles a que a história chama de fariseus. Critico-os por terem rejeitado Jesus, sendo conhecedores da Lei e dos Profetas. Se conheciam as escrituras, como é que o poderam rejeitar.
Mas também penso, um pouco, em defesa deles.
Parece-me lógico, razoável até, a atitudes deles para com Jesus. Foram mil e poucos anos de hábitos religiosos, implementados e experimentados. Mil e tal anos a matar borregos, pombas, cordeiros etc... e de repente alguém diz que isso não é mais preciso, alguém diz que é o Caminho, a Verdade, a Vida, o Pão do Céu, a Água viva etc... Jesus disse isso... é de acreditar?
Agora imaginem, se Jesus não tivesse vindo naquela altura, e viesse hoje! Qual seria a nossa atitude, envolvidos que estamos nos nossos esquemas religiosos. Imaginem que Ele entrava na vossa (minha) Igreja e dizia:
Eu sou o caminho, a verdade, a vida, a ressurreição, o pão do céu etcc.... Acreditavam, ou diziam, tal e qual como os fariseus, este homem é louco!

9 Biblos:

Paula Marcos disse...

O ser humano é engraçado... somos rápidos em descubrir falhas nos outros... mas nem repara que acaba por cair em erros muito similares repetidas vezes na sua vida...

Que Deus nos ajude a estarmos sensíveis à Sua voz, para que não fiquemos agarrados demais a tradições e liturgias!

Tinoca Laroca disse...

Hoje tenho a convicção que seria muito pior.
Já viste quantas denominações abrem a cada momento? crescem por todo o lado como cogumelos.
"Quem dará crédito à nossa pregação?"
God bless you.
t.

Lai disse...

Fosse em que época fosse, Jesus Cristo iria ver nos homens a mesma reação à sua vinda, para que se cumprisse o que está escrito: Veio para o que era seu mas os seus não o aceitaram...


De qualquer das formas, acho sim que ESTE HOMEM É LOUCO!!!!

louco de amor por nós
tão louco que se prontificou a morrer por nós ainda que O tivessemos rejeitado...
e Ele de tão louco que é...aceitou mesmo assim morrer para que eu viva!!

DTA
Lai

Ruben disse...

:)

Bem...isso é um facto.

Mas também há outro facto. Depois da Sua morte e ressurreição, eles continuaram a querer rejeitar. Até o que sabiam em relação à ressurreição ocultaram!
Acho que era mais do que simples quebra de tradições que eles tinham medo! Era uma cegueira que ainda existe.

Embora tenhas um ponto...

Marlene Maravilha disse...

Eu acho é que tudo se repete!
Claro que se fosse hoje, este mesmo Jesus, com certeza morreria da mesma maneira. E o amor dEle também seria o mesmo por nós! E assim a Palavra da profecia continuava se cumprindo!
abraços

Paula disse...

POdes crer... hoje em dia seria igual, se não pior...

Vítor Mácula disse...

Caro Daniel.

Eu às vezes fico um bocado à nora quando me dizem com toda a naturalidade que crêem na consubstancialidade etc, e tantas vezes numa acusação e condenação dos que não crêem ou se confundem (de Pilatos a Judas)… Eu gostava de saber o que faríamos se conhecessemos um tipo qualquer no Bairro Alto ou no Cais do Sodré, rodeado de prostitutos/prostitutas, operários, professores e por aí fora, conversando e bebendo uns copos, ouvíssemos dizer que umas coisas estranhas de vez em quando fazia, esse tipo depois fosse para os Estados Unidos, vindo nós a saber que tinha sido condenado à morte na cadeira eléctrica e depois aparecendo uns gajos a dizer-nos : aquele tipo, era o verbo do Deus omnipotente e criador do céu e da terra, aquele tipo era o Deus feito humano… Quantos de nós iam na conversa… Nós acreditamos é na tralha secular (Igreja, teologias, etc) mas Nele, realmente Nele… quem sabe a sua fé ?...

Oxalá, tal Pilatos, eu conseguisse perguntar-lhe: O que é a verdade?

Sempre seria um começo.

Não sei se me expliquei muito bem… ;)

Um abraço.

Victor Santos disse...

É bonito como argumentas mas é bom não esquecer que o proprio Jesus os condenou. A partir do momento em que o Messias os condenou não devemos ir de encontro a essa decisão. Mas gosto de pessoas que vagueiam no mundo do pensamento!!
gosto de ti,força!
lol.

Vítor Mácula disse...

"Perdoa-lhes, Pai, que eles não sabem o que fazem."

"Também eu não te condeno. Vai, e não peques mais"

:P

Jesus interpelou com veemência profética certos grupos e comportamentos; mas nunca condenou especificamente ninguém.

Não que não se possa fazer esse tipo de exegese. Mas ela não é directamente evidente, pelo menos nos textos canónicos.

Abraçol ;)